Paraná

02/10/2008

FUNCIONALISMO - Servidores são capacitados para elaboração de concursos públicos

Padronizar procedimentos, discutir e tirar dúvidas sobre a legislação e alertar para todas as normas e regras que devem ser seguidas no planejamento e elaboração de concursos públicos. Esses são alguns dos objetivos de um treinamento que está sendo aplicado, pelas secretarias da Administração e do Ensino Superior, a servidores públicos da área de recursos humanos das universidades e faculdades estaduais. A realização de concursos para reforçar os quadros das instituições de ensino superior faz parte do conjunto de investimentos em educação lançados em agosto pelo governador Roberto Requião.
As equipes das duas secretarias, durante o mês de setembro, já capacitaram funcionários de oito instituições. Nesta quarta-feira (1º), o treinamento foi realizado em Curitiba, com 28 profissionais, da Faculdade de Artes do Paraná (FAP) e da Escola de Belas Artes do Paraná (Embap), ambas da própria capital; e ainda servidores da Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Paranaguá (Fafipar) e da Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de União da Vitória (Fafiuv).
CLAREZA - Entre os pontos abordados no curso, mereceu ênfase a elaboração dos editais. Conforme salientou a gerente da Divisão de Seleção do Departamento de Recursos Humanos da Secretaria da Administração, Magda Freitas Lopes da Silveira, um edital de concurso público precisa ser o mais completo e claro possível. Um edital bem feito assegura transparência ao processo e segurança aos candidatos e evita questionamentos administrativos e judiciais.
A gerente citou a necessidade, por exemplo, de os cargos e funções de determinado concurso estarem descritos com precisão no edital. “Não só a descrição da função [escolaridade, atribuições], como das particularidades [que possam existir] da unidade [de trabalho] onde essa função será exercida, tudo isso é importante que seja colocado no edital, para que fique claro ao candidato e, assim, ele possa analisar se vai ter condições de assumir aquela função”, disse Magda aos profissionais.
POSSE - Além da descrição das funções, é essencial também que o edital traga quais os requisitos para que os aprovados no concurso tomem posse. Magda Freitas Lopes da Silveira observou que, geralmente, os concursos públicos não são restritivos quanto às condições para os interessados se inscreverem. No entanto, há exigências legais para a contratação. “Os requisitos para investidura no cargo devem estar explicados de forma clara no edital, para o interessado tomar ciência se encaixa-se ou não no cargo pretendido.”
Depois de Curitiba, o treinamento será aplicado a funcionários das universidades do Oeste do Paraná (Unioeste), de Ponta Grossa (UEPG), do Centro-Oeste (Unicentro), de Maringá (UEM) e de Londrina (UEL). Passaram pelo curso, além desse que foi realizado na capital, os servidores das seguintes instituições: faculdades de Filosofia, Ciências e Letras de Jacarezinho (Fafija), Campo Mourão (Facilcam), Paranavaí (Fafipa), e Cornélio Procópio (Faficop); de Ciências Econômicas de Apucarana (Fecea), de Educação Física de Jacarezinho (Faefija), de Direito do Norte Pioneiro (Fundinop) e a Faculdade Luiz Meneghel (Bandeirantes).
Em 9 de setembro, um manual com instruções básicas, produzido pelos técnicos de RH das duas secretarias, foi lançado e distribuído pelas secretárias Maria Marta Lunardon (Administração) e Lygia Pupatto (Ciência, Tecnologia e Ensino Superior) às universidades e faculdades estaduais.
FONTE: Agência Estadual de Notícias - www.agenciadenoticias.pr.gov.br
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.